Pois é, estamos de volta, gente! Parece que foi outro dia que eu estava me organizando de postar isso, de viajar, de ganhar presentes... Mas já passou um ano! Vamos ver o que aconteceu esse ano, então? ;D

--------
Regrinhas / Informações:

Na Retrospectiva Literária 2011 vamos descobrir o que andou rolando de melhor na blogosfera literária, vamos planejar as nossas metas para 2012 e vamos conhecer muitos blogs interessantes! :)

Para participar é mais fácil do que tirar doce de criança:
  • É só deixar um comentário nesta postagem, com o seu nome (ou nick que usa na internet), link e título do seu seu blog
  • As inscrições poderão ser feitas até o dia 29 de dezembro
  • Conforme vocês forem dizendo que querem participar, vou atualizando o post... Vou colocar o nome ou nick da pessoa e o endereço do seu blog aqui. Desta forma, vocês divulgam os seus blogs, tem a oportunidade de conhecer outros blogueiros e ficam por dentro das leituras mais marcantes de 2011.
  • Todos deverão criar um post no dia 30 de dezembro com as suas respostas! (escolhi o dia 30 porque acho que a maioria vai viajar dia 31 ou vão estar tomando trago, então é melhor deixar a postagem garantida ;p)


Que livro divertido! Que livro maravilhoso! Sabe aqueles livros que, enquanto você lê, você paga mico lendo, porque não consegue controlar as risadas? Pois é, você acabou de entender como me senti lendo Qual seu número?.

A protagonista, Delilah, é uma figura, nada menos que isso. Imagina aquela moça que apesar de sair com muitos caras, ser bonitinha e ter um até que um emprego estável, não consegue "acertar" na vida. Não, não estou falando da Erica (da série Being Erica. Confesse, as duas são parecidas). Mas, que apesar de tudo isso, ela tenta encarar a vida de um jeito feliz, aproveitando, sorrindo, vivendo. Isso foi uma das coisas que mais gostei na Delilah: ela, apesar de tudo, era muito corajosa. Ela admite o problema. E ela tenta consertar    do seu jeito, mas tenta! Ela não leva tudo pro lado negativo, não. Ela tenta ver as coisas de um lado legal, o que acaba nos fazendo sorrir. E, people, suas falas e suas atitudes são dignas de boas gargalhadas... Ai, ai. Sendo que ela é a narradora, vocês entendem o por quê desse livro ser tão divertido, certo?

Quando a "aventura" de Delilah começa    interrompemos essa resenha para um momento: ROAD TRIP, BABY! EU PRECISO FAZER UMA, PRA ONTEM! COM AMIGOS!    é quando as coisas vão ficando mais legais. Ela acaba adotando uma cachorrinha, muito fofa e que a põe em cada situação... E ela falando daquele jeito que falamos quando vemos um cachorro fofo? HAHAHA, impossível não rir do jeitinho. Vemos como cada um dos exs era (ela conta os relacionamentos, por que acabou, etc) e como é atualmente e pessoal... Delilah é uma doida completa! Às vezes eu parava a leitura e pensava: "ela estava bêbada quando namorou esse cara?". E dava risada logo em seguida.

E o Colin, gente! Se vocês não sabem, bem, fiquem sabendo: eu tenho uma queda ok um precipício... por personagens, atores, cantores, seres ingleses e irlandeses. Eles têm um sotaque e um jeito que é im-pos-sí-vel não se apaixonar. Com Colin, não foi diferente. Tá certo que a imagem do Chris Evans como um Colin ajuda a imaginação da pessoa que vos escreve, mas vocês entenderam.

Enfim. Recomendadíssimo. É por isso que vocês que não gostam de chick-lit perdem a razão nesse ponto. O livro é meio fútil? É, talvez. Mas a autora não queria um livro "sério". Ela queria algo que pusesse um sorriso no rosto dos leitores e que ao mesmo tempo fizesse as mulheres (nesse ponto) se identificassem e talvez até acabassem conseguindo ajuda após ler esse livro. E pode crer, povo lindo, isso ela conseguiu.
+ Favorito

(Cinco estrelas)


Autor(a): Karyn Bosnak
Editora: Novo Conceito
Ano: 2011 (Brasil) / 2006 (original)
Páginas: 414 (Brasil) / 368 (original)
Nome original: What's Your Number? ou  Twenty Times A Lady
Coleção: -

O "Na Pilha" é um meme aonde eu mostro meus últimos desejos literários (geralmente os Internacionais) que eu acho no Skoob, no GoodReads, na Amazon, no Book Depository, em blogs internacionais e daqui... ;) (Totalmente inspirado no meme de mesmo nome da Carol!)

Oi, seus fofuchos! (não sei da onde veio isso, mas pra mim é um apelido cute) Mesmo que o Natal já tenha passado, ainda dá pra ganhar alguns presentes, certo? Afinal, eu pelo menos, sempre ganho presentes de um lado da família no Natal e do outro lado no Ano Novo... Então respira fundo, ainda dá tempo de ganhar comprar alguns livrinhos! Como esses, internacionais...


E é claro que, para um post desse porte, temos que ter uma foto do We Heart It. Esse blog não seria esse blog sem todas as 500 mil edições que faço com as imagens desse site para criar os ícones das colunas.
Enfim. Com esse título auto-explicativo, eu vos mostrarei os 10 melhores livros, para mim, de 2011. LEMBRANDO: essa lista foi feita em 19 de dezembro de 2011, por isso, está sujeita à mudanças até dia 31 do mesmo mês.


Ho, ho, ho, o Natal chegou! (eu ficava falando isso o ano inteiro, menos na época do Natal...)
Mas bem, ele finalmente chegou! Lembram-se do ano passado, da mensagem que eu deixei pra vocês? Pois é, eu estava até que inspirada.
Então, esse ano chegou. E, aproveitando esse post todo feliz, todo mundo feliz, todo mundo com a família, com os animais de estimação, com coisas novas, eu tive uma ideia. Na verdade, eu ia apenas pegar uma imagem bonitinha de Natal e escrever "Feliz natal" ou "Merry Christmas", mas então, eu pensei: Por que não mostrar um pouco de cultura aos meus queridos leitores? E então, eu resolvi pegar 16    isso mesmo, 16!    línguas diferentes e ver como se falava "Feliz natal" em cada uma delas. O resultado é a foto que abre o post.
Mas vamos aos finalmentes, depois explico o resto. UM ÓTIMO NATAL pra todos vocês, que estão sempre presentes no blog ou não, que passem esse dia junto com que vocês mais amam, que aproveitem, que sejam muito, muito, muito felizes!
Abram presentes, cantem, pulem, aproveitem mesmo! Afinal, É NATAL! E natal é nada menos que uma enorme festa de aniversário a Jesus! Por isso, cante parabéns, bata palmas, coma doces, se esbalde (só não vá ficar bêbado(a) antes da meia-noite do dia 24, hein!) e não se esqueça de, no final das contas, lembrar de como a família e os amigos são importantes.
-----
Pois bem, então é natal e o que você fez? O ano termina e começa outra vez! E como eu já disse lá em cima, estou desejando a vocês um feliz natal de 16 maneiras diferentes. Então, vamos brincar, afinal é Natal? Dessas 16 línguas, tente adivinhar algumas. Nem que seja só uma, duas ou três, o que vale é a diversão. E aí? Vai encarar? 
Dica: há uma língua morta no meio dessas 16. Há também línguas que se escrevem com caracteres diferentes dos "normais" (a, b, c, d) e eu escrevi como se fala (segundo o Google Tradutor).
Finalizando esse post muito feliz (que se você leu, well, parabéns!), deixo pra vocês uma(s) música(s) que eu amooo    de natal, claro.

Last Christmas    Ashley Tisdale

Santa Baby    Glee

Ah, alguém sabe como chama aquela musiquinha da Coca de natal? Se souber, me diga...
E FELIZ NATAL! (de novo)

Oi, mundo encantado. Estamos todos bem felizes, correto? Ok! Enfim, é véspera de Natal e, antes que você pense que estou gastando meu tempo na Internet em vez de aproveitar qualquer momento meigo-fofo-etc com a família, eu não estou. ~voz de robô~ Isso é uma postagem programada, amigos.
Eu só vim avisar que olha só, vou viajar! Vou passar o Natal e o Ano Novo com a minha família, em outro lugar e como é uma época especial num lugar especial, provavelmente nós não veremos muito. Na verdade, vocês até vão pensar que eu estou aqui, pois programei postagens para essa semana (algumas resenhas, o Na Pilha).
Mas eu não estarei! Então, como só volto dia 10 de janeiro, o blog vai ficar parado nas próximas semanas... Quer dizer, tirando a do dia 26. Mas vocês entenderam.
De qualquer forma, as postagens semanais/mensais/quinzenais não ocorrerão! Essa Semana, Book Blogger Hop, Na Pilha (tirando a semana do dia 26), Remember..., etc e etc ficarão acumuladas, mas depois que voltar de viagem, eu tento pôr em dia ok?
Mas, de qualquer jeito, BOAS FÉRIAS! Um ótimo natal e começo de ano (mas eu já deixei programado uma mensagem no dia 25 e no dia 01 desejando isso).
E voltamos a se ver daqui a um tempo :D
P.S.: pra quem não sabe pra onde eu vou, só digo que vou viajar de avião (e eu adoro um avião!).

*Resenha do primeiro livro (Beijada por um anjo), do segundo livro (A força do amor) e do terceiro livro (Almas Gêmeas).

Resenha:
Desculpa aí pela sinopse, ficou ruim. Mas vamos ao livro. Todo mundo ficou surpreso que, após dez anos desde o último livro da trilogia, a autora resolveu começar a escrever novamente. É claro que os boatos são que ela queria ganhar mais dinheiro e fazem muito sentido, sendo que "anjos" são os novos vampiros. Por isso, minhas expectativas não estavam muito altas. Na verdade, com essa série, eu não tenho grandes expectativas. São livros para diversão, sem comprometimento. É melhor se surpreender com ela do que se decepcionar, certo?

As coisas reiniciam da onde pararam, praticamente. Ivy e Will estão juntos, como um belo casal estilo vamos-nos-casar-e-ter-vários-filhos, mas todos sabemos que, bem... Ivy só está com ele porque seu amado Tristan não está mais presente e porque era o que todos esperavam que ela fizesse. Eu não gostei desse ponto, detesto protagonistas que usam os coitadas dos coadjuvantes como meros bonecos, não merecem isso! Mas ao mesmo tempo, dava até para entender o conflito de Ivy, seu desespero por respostas e explicações.

Nesse livro, tudo se passa na cidade praiana onde a tia de Beth tem um hotel (e onde ela, Ivy, Will e algumas amigas de Beth trabalham), então algumas personagens como o Philipp e os pais de Ivy ficam meio "em off". Eu gostei dessa mudança de cenário, pelo menos alguma coisa mudou. A história é legal e, após surgir mais um personagem na trama, eu já comecei a torcer por ele. Não tenho nada contra o Will, mas pra mim ele é feito pra Beth, não pra Ivy (sei lá por quê, mas sempre pensei assim).

Ahh, falando nesses personagens... Beth, caramba, está um saco nesse livro! Duvidando da amiga, não apoiando-na, ficando sempre ao lado do Will... Não é de surpreender que Ivy tenha ficado meio rebelde nesse livro, até mesmo eu ficaria irritada com toda essa situação e todo mundo falando que eu estava assim por causa de uma maldita data.

No geral, deu pra notar que esse quarto livro não foi só enrolação, como eu pensava. Teve momentos divertidos, ainda possui aquela característica de ser um livro rápido e, olha que coisa legal!, os erros da NC são bem mais escassos que nos outros livros. Também, pelo final, vemos que certamente isso não será uma série de quatro livros e sim uma série, sem quantidade definida. Se a autora continuar sabendo divertir, bem, não será nada mau.
(Três estrelas    8,5)


Autor(a): Elizabeth Chandler
Editora: Novo Conceito
Ano: 2011 (Brasil) / 2011 (original)
Páginas: 288 (Brasil) / 288 (original)
Nome original: Evercrossed
Coleção: Beijada por um anjo, #4

Hum, um clássico. Milagre, não? Não é que eu não goste desse estilo de livros, mas é que simplesmente já fico atolada com meus próprios livros que, se eu me meter em algum "Desafio Clássico" (como o do NUPE), vou acabar lendo ainda menos do que estou... Ok, de qualquer forma, eu li Amor de perdição por causa da escola e não me arrependo.

Simão Botelho e Teresa Albuquerque são jovens que, apesar de suas famílias    seus pais, na verdade    se odiarem até a morte, acabam se apaixonando. Um pouco como Romeu e Julieta? Sem dúvidas, não dá para não comparar. Mesmo nos dias de hoje, quando lemos algum "amor proibido", lembramos dos eternos sofredores. Então, eu não estava muito animada. Quero dizer, eu até curto a história de ReJ, mas honestamente? Se matar? As pessoas daquela época não eram muito inteligentes... Por que não combinar tudo certo e, no final, acabar fugindo? Ok, ok. Esqueça minha opinião, não teria história se eles seguissem isso.

Quando comecei a ler, a primeira coisa que "barrou" a leitura foi, obviamente, a linguagem arcaica. A história foi escrita dois séculos atrás e, apesar de ter algumas palavras não usadas atualmente, esse não foi o problema. Uma das coisas que o autor usava praticamente o tempo todo era o "hipérbato"    para quem não sabe, é uma figura que inverte o objeto com o sujeito; ex: "A maçã eu comi"    e isso dificultava as coisas, porque nós raramente falamos assim. Mas, depois que você lia um pouco, acabava se acostumando e no final das contas, a linguagem não atrapalhou mais.

A história, em si... É boa. Na minha opinião, não tem nada de mais pra se tornar o "clássico" que se tornou, porque não foge do lugar-comum desse tipo de história (com os protagonistas morrendo no final). Mas não é ruim. Simão é um jovem que, atualmente, seria considerado um "bad boy", porque sempre está arranjando confusões e é apaixonado ao extremo por Teresa, a ponto de fazer qualquer coisa por ela. Eu não gostei muito dele, achei meio "cabeça-dura". Já Teresa é a mocinha da história... Nós a vemos menos na história do que Simão, o que eu não gostei, porque as partes com ela eram mais legais. Temos, então, o terceiro vértice desse triângulo amoroso    o diferencial entre o livro e Romeu e Julieta, para mim   , Mariana. Ela é, literalmente, uma pobre coitada, filha de um cara (João da Cruz) que abriga Simão quando ele vai para Viseu, a cidade onde Teresa mora. E eu gostei dela! O que é incrível, porque detesto essas personagens que põem tudo na frente de si mesma para a felicidade do amor... Mas, mesmo assim, Mariana foi uma personagem que eu me conectei. A única, na verdade (Aliás, não é um triângulo amoroso, HAHA, é um quadrado, porque tem o pretendente da Teresa, seu primo Baltasar. Mas ele nem a "ama", então vamos considerar apenas o triângulo).

Foi uma leitura diferente, acima de tudo. Fugiu das coisas que normalmente leio e foi bom. Nem de longe me fez ter vontade de ler outros livros do Camilo Castelo Branco, mas quem sabe em 2012 eu leio mais clássicos? Enfim, se você acha que vai gostar, leia. Pode ser que você goste mais que eu =)


(Três estrelas    8,0)


Autor(a): Camilo Castelo Branco
Editora: Ática
Ano: 1862 (primeira edição)
Páginas: 119 (19ª edição    Ática)
Nome original: - 
Coleção: -
O "Na Pilha" é um meme aonde eu mostro meus últimos desejos literários (geralmente os Internacionais) que eu acho no Skoob, no GoodReads, na Amazon, no Book Depository, em blogs internacionais e daqui... ;) (Totalmente inspirado no meme de mesmo nome da Carol!)

Nossa, que edição difícil! Tive que "escavar" para achar livros nacionais que eu realmente quisesse... Porque eu sempre tento evitar continuações, então minhas opções ficam mais reduzidas. Mas finalmente escolhi. Um é um desejado "novo", os outros são    ao que parece    eternos desejos. Mas vamos à brincadeira? haha
Meme semanal hospedado pelo Lost in Chick Lit, onde compartilhamos pequenas informações sobre a nossa semana literária. Tendo como principal objetivo encorajar a interação entre os blogs literários brasileiros, fazer amizades e conhecer um pouquinho mais sobre outras pessoas apaixonada por literatura. Tem interesse em participar? Saiba como aqui!

♥ Leitura do Momento:
- A Bandeja: que Pecado te seduz?, de Lycia Barros;
- Prazeres Malditos, de Laurell K. Hamilton.

 Li Essa Semana:
- Draco Saga: O despertar (volume 1), de Fábio Guolo. 

Sinopse: A alegria de Bella Swan (Kristen Stewart) e Edward Cullen (Robert Pattinson), recém-casados, é interrompida quando uma série de traições e situações adversas ameaça destruir o mundo deles. Após o casamento, Bella e Edward viajam até o Rio de Janeiro para a lua-de-mel, onde finalmente se entregam a suas paixões. Bella logo descobre que está grávida, mas a chegada da filha, Renesmee, coloca em movimento uma perigosa cadeia de eventos.
Diretor: Bill Condon
Elenco: Kristen Stewart, Robert Pattinson, Taylor Lautner.
Duração: 117 minutos (1 hora e 57 minutos)
Título original: The Twilight Saga: Breaking Dawn (part 1).

O "Na Pilha" é um meme aonde eu mostro meus últimos desejos literários (geralmente os Internacionais) que eu acho no Skoob, no GoodReads, na Amazon, no Book Depository, em blogs internacionais e daqui... ;) (Totalmente inspirado no meme de mesmo nome da Carol!)


Esse é  a versão brasileira do Book Blogger Hop que as garotas do Murphy's Library começaram! (a versão original é da Jennifer, do Crazy for Books). A ideia é conhecer um pouco mais sobre a blogosfera!
Como é? Bem simples: quem quiser postar o meme bota o selo do Book Blogger, responde a pergunta da semana e linka o seu post lá no Murphy's Library! Toda semana tem uma pergunta diferente.

A pergunta dessa semana é:

Qual lançamento previsto para 2012 você mais deseja?

A pergunta de um milhão de dólares!! Eu sei que muitos livros serão lançados ano que vem, continuações, estreias super esperadas, mas na hora de pôr no papel ou no pc, não me vem quase nada... Por isso, pegarei “emprestado” alguns desejos das garotas do Murphy's.
* Pandemonium, de Lauren Oliver (continuação de Delirium!    lançamento para março/2012)
* Insurgent, de Veronica Roth (continuação de Divergent|! (que eu tenho, mas ainda não li)    lançamento para maio/2012)
* Fazendo meu filme 4, de Paula Pimenta (necessito!)
Esse são alguns que estou lembrando. Tenho certeza de que, conforme o ano que vem for passando, vão ser lançados livros incríveis que eu não vou ter dinheiro pra comprar as always e minha lista de desejados vai triplicar de tamanho... OH NO!

E vocês? Quais os lançamentos de 2012 que vocês não aguentam mais esperar?


Meme semanal hospedado pelo Lost in Chick Lit, onde compartilhamos pequenas informações sobre a nossa semana literária. Tendo como principal objetivo encorajar a interação entre os blogs literários brasileiros, fazer amizades e conhecer um pouquinho mais sobre outras pessoas apaixonada por literatura. Tem interesse em participar? Saiba como aqui!

♥ Leitura do Momento:
- A Bandeja: que Pecado te seduz?, de Lycia Barros;
- Draco Saga: O Despertar (Volume 1), de Fábio Guolo.

 Li Essa Semana:
Nada, affe '-' (mas vejam a quantidade de "assistidos na semana", acho que descobri porque li pouco...)


Seção inspirada no  "In my Mailbox" do blog  The Story of Siren, em que compartilhamos os livros que chegaram pelo correio, no meu caso, não necessariamente semanalmente.

Bom dia, povo! Como vocês estão? Desculpem-me a irregularidade das IMMs, mas é que eu quase sempre arranjo compromisso pra sexta/sábado, ainda mais nas férias... Daí eu morro de preguiça de fazer antes (ou depois)! Mas prometo, vou tentar me esforçar. 
Semana passada chegou bem mais coisa do que eu esperava, mas bem... Só uma não foi book tour! E essa linda semana chegou apenas um coisa e, ADIVINHA SÓ, BT também (definitivamente, ficarei pobre). Mas whatever, são livros lindos do mesmo jeito (:

Troca (1)
Book tour (3) 

Aqui é uma coluna aonde faço um resumo do mês do blog. É inspirado no "In Review" do blog Garota Que Lê e no "O Último Mês" da Dani Fuller, mas possue outras perguntas.

Pensamentos de Novembro:
Eu falei que Outubro foi um desastre literário, não? Pois bem, Novembro veio, cheio de flores e doces e foi igual! Como assim, você pensa, ler só CINCO LIVROS? Sendo que nas férias eu leio no mínimo o dobro? É caso de processo. Espero de pés juntos e dedos cruzados que Dezembro seja melhor, bem melhor! (e passe mais devagar)

Como começar uma resenha de um livro tão diferente? ” Difícil, sem dúvidas. Delirium é mais um livro distópico, uma moda que vem se alastrando pelos young adults com uma velocidade impressionante. Mas será mesmo que ele é só mais um em meio a uma multidão? Não. Pra começar, qualquer livro distópico merece ser lido, porque possui elementos muito interessantes (vi outro dia esse post no Garota das Letras sobre por que você deve ler distópicos e achei bem legal    clique aqui para ver): criatividade, faz você pensar... São tantos. E exatamente por isso são tão bons. Então, já vale (e muito!) a pena ler.

Vamos por partes. Pra começar, eu tenho que dizer: me diz, que livro que você já leu em que o AMOR é uma doença? Eu não me lembro de nenhum! Achei essa proposta tão legal e nada a ver quando vi esse livro pela primeira vez que só por isso já queria ler. Afinal, é diferente você ver um sentimento que sempre é posto em primeiro lugar, que conduz vários livros, com outra visão, sendo tratado como a peste negra (OH, estou histórica hoje). Enfim. Já dou meus parabéns a Lauren só por causa disso.

O modo como a história é conduzida também é ótimo! Eu li o livro lentamente, mas posso te dizer: foi por falta de tempo! Ele tem um ritmo legal, não é corrido nem lento demais. Tem ação, tem romance, tem até mistério. Ele tem potencial. E esse potencial é alcançado durante o livro. Os personagens principais são cativantes, ou se esforçam para ter alguma base, alguma coisa para que você acabe se lembrando deles. Lena, a protagonista, é até que bem legal. Pra falar a verdade, eu me identifiquei com ela. Primeiro, pelos aspectos físicos: ambas somos baixinhas, ambas somos garotas comuns. Depois, pelo modo como ela pensava. Eu acabava torcendo por ela, torcendo para que ela se desse bem... O que é raro. Geralmente as protagonistas de YA são insuportáveis, ou beiram o normal. E a história criada em volta de Lena também é muito boa! Foi justamente uma das coisas mais legais do livro. O jeito como a sua família se comporta, como pensa, como Lena tenta se adequar a eles... É tudo tão bem conectado! E nem tenho que dizer que adorei a Gracie, a prima da Lena, né? 

Mas eu não falei da melhor parte desse livro. Dos distópicos num geral, para falar a verdade. A sociedade, cara! Afinal, não adianta nada ótimos personagens e um plano de fundo malconstruído, não é mesmo? E nisso, pode ter certeza, a Lauren não me desapontou. Claro que não ficou nada extremamente explicado, afinal é uma trilogia e tal, mas ela explicou o suficiente para me deixar bem curiosa com a continuação (bem curiosa uma ova, eu tô é desesperada!!!). Não vou falar muito dos aspectos da tal sociedade porque o divertido é você ir vendo e entendendo como ela funciona.

Ah, no começo do livro eu lembrei um pouco de Matched. Ambas as sociedades têm aspectos parecidos, mas em alguns pontos, eu gostei mais da criada pela Lauren. Ok, ok, fica muito difícil escolher, porque, como comentei no começo, toda sociedade distópica é legal (de se ler, não de se viver, fique claro isso!). Mas a Lena e a Cassia são bem diferentes. Os livros são bem diferentes, têm situações diferentes. Em Delirium, a autora se foca mais nos mistérios, no romance proibido (ao mesmo tempo eu achei que em Matched tem mais romance...), etc. São tão diferentes, mas ao mesmo tempo têm ligação, entende?

De qualquer forma, eu adorei esse livro. Mais ainda que Matched. Tá pertinho de alcançar Jogos Vorazes, na verdade! Eu sei que eu não comentei sobre alguns personagens bem importantes, mas como eu tento soltar ao mínimo spoilers, decidi que só vou comentar sobre a Lena e sua família. Que vocês descubram por si próprios os outros! KKK

Finalizando: se você ainda não leu esse livro e sabe ler em inglês, O QUE TÁ ESPERANDO? Vai lá, compra o seu exemplar e aproveita e compra um pra mim! Prometo, você não vai se arrepender. O inglês é fácil, flui bem e não precisa ser nenhum gênio dessa língua para entender (Exemplo: eu não sou). Se você não sabe ler em inglês, não tem certeza ou não quer se arriscar, fique calmo. A Intrínseca, que já lançou Antes que eu vá, da Lauren também, esse ano, já confirmou que vai lançar Delirium também. Então, quando lançar, você compra e lê (e compra um pra mim também né)! 

Só pra fechar legal: eu amei esse livro. E amar é proibido em Delirium, lembram?

P.S.: Só eu que amei a sacada da Lauren criando o Book of Shhh (Health and Happiness Handbook)? Sério, adoro esses detalhezinhos!

+ Favorito
(Cinco estrelas)


Autor(a): Lauren Oliver
Editora: Harper Teen (selo da Harper Collins)
Ano: 2011 (Estados Unidos)
Páginas: 441 (Estados Unidos    edição hardcoverl)
Nome original: - 
Coleção: Delirium







Book Blog Tour: Delirium

O "Na Pilha" é um meme aonde eu mostro meus últimos desejos literários (geralmente os Internacionais) que eu acho no Skoob, no GoodReads, na Amazon, no Book Depository, em blogs internacionais e daqui... ;) (Totalmente inspirado no meme de mesmo nome da Carol!)



Esse é  a versão brasileira do Book Blogger Hop que as garotas do Murphy's Library começaram! (a versão original é da Jennifer, do Crazy for Books). A ideia é conhecer um pouco mais sobre a blogosfera!
Como é? Bem simples: quem quiser postar o meme bota o selo do Book Blogger, responde a pergunta da semana e linka o seu post lá no Murphy's Library! Toda semana tem uma pergunta diferente.

A pergunta dessa semana é:
Com o fim do GFC para blogs não hospedados no Blogger, qual será sua alternativa para reunir seus seguidores? Twitter? Facebook?
Primeiramente: QUE MANCADA DO GOOGLE! A primeira vez que vi essa notícia, pensei: "Caramba, o que vou fazer agora?!". E se você quiser saber, ainda acho bem difícil responder essa pergunta. Mas concordo plenamente com a Guta e a Maeva: o Twitter seria sim uma ótima maneira de reunir os seguidores, mas duvido muito que ele acabe sendo o principal jeito, as pessoas tendem a usar o Facebook pra isso mais... Uma pena, na minha opinião, porque nem de longe tantas pessoas usam Facebook quanto têm uma conta no Google, né?
E você, o que pensa sobre o assunto? Também tá revoltada(o)? Comente aí suas opiniões, manolo :)

Meme semanal hospedado pelo Lost in Chick Lit, onde compartilhamos pequenas informações sobre a nossa semana literária. Tendo como principal objetivo encorajar a interação entre os blogs literários brasileiros, fazer amizades e conhecer um pouquinho mais sobre outras pessoas apaixonada por literatura. Tem interesse em participar? Saiba como aqui!

♥ Leitura do Momento:
- A Bandeja: que Pecado te seduz?, de Lycia Barros;
- Draco Saga: O Despertar (Volume 1), de Fábio Guolo.

 Li Essa Semana:
- Delirium, de Lauren Oliver;
- Insaciável, de Meg Cabot.

Hello there!
Então, mesmo que eu fale a mim mesma Não fique se comprometendo com tantos desafios!”, eu sempre ignoro isso e acabo me inscrevendo em algum (ou alguns?). De qualquer forma, vocês já viram que eu vou participar do Desafio Literário 2012, correto? Pois bem, então eu estava navegando pelos blogs e dei de cara com um post sobre o Debut Challenge Brasil 2012, no blog da Carol. É claro que eu já conhecia o desafio, que é internacional, então fiquei curiosa pra saber como ela estaria fazendo aqui no Brasil...
... E vi que quem, na verdade, está organizando é ninguém menos que a Pâm! Resumidamente, vou explicar o que é esse desafio, caso você não tenha o costume de visitar blogs internacionais literários (honestamente, eu recomendo MUITO que o faça, você fica por dentro de muita, muita coisa).


Qual o objetivo do desafio? Ler pelo menos 12 livros Jovem-Adulto ou Infanto-Juvenil de autores estreantes no ano do desafio (01/janeiro/2012 - 31/dezembro/2012).

Principais regras:

Principais regras:
  • Seu blog precisa ser em português.
  • Postar suas resenhas em um blog ou sites de livros como skoob ou goodreads.
  • Inscrições no desafio serão aceitas até 30 de Junho.

Livros válidos:

Livros válidos:
  • Apenas livros Jovem-Adulto (Young Adult) ou Infanto-Juvenil (Middle Grade).
  • Apenas livros de autores estreantes no gênero ou em publicações. Ou seja, se o autor publicou um livro adulto e agora está lançando um livro jovem-adulto, pode ser considerado.
  • Para livros internacionais vale a mesma regra, apenas se o autor não tiver sido publicado no país para a categoria Jovem-Adulto e Middle Grade.
Se vocês quiserem se inscrever, ou dar uma olhadinha, ou até mesmo saber mais sobre o Desafio, o link para o post que a Pâm fez    aonde tem todas as informações, incluindo como se inscrever    é este aqui.
Infelizmente eu ainda não tenho nem ideia de como fazer a lista... Já que eu não sei quais serão os lançamentos de 2012. De qualquer forma, assim que forem saindo, vou atualizando, ok?
E participem, galera! É legal! É divertido!