[Resenha] Pobre não tem Sorte, de Leila Rego


Comentando nesse post, você ganha uma chance extra na Promoção de "Anna e o beijo francês"! (http://bit.ly/ivhLMS)

Como começar uma resenha desse livro? Honestamente, ele é tão... não sei, maluco, que é meio difícil de fazê-la! Mas eu vou, desculpem se ela não ficar muito boa (eu tentei!).

A história começa com um acontecimento no dia do casamento de Mariana, ou simplesmente Mari, e após o capítulo contando isso, ele volta alguns meses, explicando como chegou na mesma situação.

Mari é uma moça de 26 anos, prestes a se casar com Edu, um cara fofo, legal, simpático e muito gato - e podre de rico! Ela não é assim, na verdade ela é "pobre". Porém, sua cabecinha não pensa assim e para tentar impressionar as amigas, ela compra coisas caras e que seu orçamento não consegue bancar. Pra ser honesta, ela é bem fútil, bem shopaholic e meio chata - mas ela faz tudo isso parecer muito engraçado, com seus comentários ácidos e inteligentes (porque burra, vamos ser claros, ela não é). Conforme o casamento vai chegando, os pontos fracos dela vão ficando mais fortes, enquanto seu relacionamento com a pessoa mais importante nesse casamento, Edu, vai ficando pior, fraco, sem companheirismo. Até que tudo explode, e justo no dia do casamento: ele não quer casar com ela! Ele fala algumas poucas verdades, mas ela não acredita e após um grande período de depressão - uns três meses, mais ou menos -, seus pais a convencem a voltar a trabalhar e a viver. E é aí que ela finalmente algumas grandes lições e faz verdadeiros amigos.

"Ah! Se eu fosse rica, tudo seria diferente. Não teria que me matar de trabalhar para receber uma merreca no final do mês, não passaria vontades na frente de vitrine de loja e muito menos optaria por um só modelo de bolsa: levaria todos sem ao menos perguntar o preço!
Mas, não sou rica. Não sou mesmo. E esse é o meu carma. Sabe de quem é a culpa? Do Sr. Destino. É verdade. O infeliz estava totalmente distraído quando chegou a minha vez de nascer. Ao invés dele me mandar para uma família rica de Paris, que era o meu lugar pré-estabelecido por algum anjo bondoso, o cabeça de vento me mandou para o subúrbio de Presidente Prudente.
Pobre não tem sorte!" (pág 16)

O livro é viciante! Apesar de eu achar a Mari uma completa fútil em alguns momentos, ela é uma ótima personagem, divertida e inteligente. O que ela só precisa é uma caída na real, um toque. E Edu, gente! Ele não é meu literary crush porque simplesmente não consigo imaginá-lo sendo, já que é 12 anos mais velho que eu. Mas isso não me impediu de achá-lo foférrimo e muito bonito. Apesar de que, em alguns momentos, eu simplesmente achei meio "parado", meio "acomodado", ele finalmente resolve agir e tomar alguma atitude. A família da Mari e do Edu estão bem presentes, afinal, casamento realmente precisa disso. Eu achei a família da protagonista muito fofa, eles são simples, gente normal, e mesmo assim, tão... especiais, sabe? Me senti como se fosse um deles e a Mari, minha irmã/amiga. Já pro lado do Edu, temos a nada querida ex-quase-sogra da Mari, que eu não vi muito por quê de tanto ódio, tirando que eu a achei bem metida e "superior". O livro é muito bom, todos os personagens são importantes... A narrativa é em primeira pessoa, no presente, pela visão da Mari faz com que tudo seja mais legal - como já comentei -, mas em alguns momentos, eu queria bater nela. Enfim.

Ele tem algumas citações a grifes famosas - afinal a Mari não é qualquer shopaholic, ela é daquelas que só compra coisa de marca -, os comentários da Mari sobre elas... não vou mentir, em alguns momentos em me identifiquei com ela, tem algumas coisas que realmente nem precisa ser que nem ela pra querer comprar ;). Minha resenha ficou ruim, né? Mas em compensação, esse chick-lit é tudo que deve ser e mais: divertido, prazeroso, com bons personagens e uma protagonista engraçada. Além de se passar na nossa terrinha, Brasil, o que torna tudo mais identificável. Recomodadíssimo!

*quanto a revisão, eu não achei muitos erros.

Nota geral: 10,0 (ou 5 estrelas)


Autor(a): Leila Rego
Editora: All Print
Ano: 2010 
Págs: 248
Nome original: -
Coleção: Pobre não tem Sorte, #1

4 comentários:

  1. To louca pra ler o primeiro livro dessa série. Parece ser super divertido. Ouvi muito comentários positivos sobre os livros.
    Bjinhos

    ResponderExcluir
  2. Sua resenha não ficou ruim não! *-*
    O livro parece ser ótimo! Parece ser divertido e de uma leitura fácil! *-* Assim que puder vou dar um jeito de ler!

    :*

    ResponderExcluir
  3. Tenho muita curiosidade em relação a esse livro.. Sinto que irei me irritar com a personagem.. Parece ser muito divertido =)

    Bjs :*

    ResponderExcluir
  4. Ah, que fofo. Adorei saber que gostou do livro.
    Obrigada pelo carinho.
    Beijos,
    -Leila Rego
    www.leilarego.com.br

    ResponderExcluir

Comente aqui o que achou da postagem. Não seja tímido, pode falar o que vier a cabeça (desde que não seja coisas, você sabe, idiotas, racistas, etc).
Aproveite.