[Resenha] Terrível Encanto, de Melissa Marr


Eu adoro, desde sempre, esse tipo de mitologia que Terrível Encanto apresenta. Seres encantados, fadas, reis e rainhas de estações, tudo isso é uma das coisas que eu mais curto num livro. Por isso, eu estava com certas expectativas em relação a essa série, ainda mais com essa capa maravilhosa que ela possui, só me atiçando a ler o livro logo de uma vez.

Quando finalmente tive tempo e oportunidade para lê-lo, posso dizer com um sorriso no rosto que fiquei mais que satisfeita com o resultado feito pela Melissa (já sou íntima, posso chamar só pelo primeiro nome! haha), especialmente por causa da pesquisa e criatividade que a história demandou da autora, que mesmo assim não me decepcionou. Esse campo é muito abrangente, há diversas visões de uma mesma história e não é nada novo. Melissa transformou tudo isso em algo diferente, misturado, mas ao mesmo tempo original, por ser uma ideia bem legal, e não teve medo da "antiguidade" do tema.

Os personagens também são bem construídos, além de que não houve um esquecimento de nenhum, todos têm seu espaço na história. A narrativa, nesse sentido, só ajudou, afinal, por ser em 3ª pessoa, conseguimos ver as diversas perspectivas dos personagens. A protagonista, Aislinn, apesar de não me causar empatia, é ao menos bem feita e inteligente, o suficiente para não termos em mãos (mais) uma garota sem nenhuma perspicácia e personalidade. Seu melhor amigo, Seth, é mais um marco do diferencial da história. Ele é apaixonado por ela, o que normalmente faz com que eu desgoste do personagem (eles se tornam chatos e obsessivos, muitas vezes), mas aqui, apesar de sua esquisitice, Seth é um cara doce e que realmente se importa com Aislinn. No entanto, um dos pontos baixos do livro é que, mesmo sendo um casal fofo, o romance entre os dois muitas vezes ficava excessivo, enquanto outros acontecimentos mais úteis poderiam estar se desenvolvendo.

Do lado "encantado", temos dois personagens que eu gostei muito: Keenan, o rei do verão, que ainda não encontrou sua rainha, mas crê que Aislinn é a resposta. Logo aí já vemos um triângulo amoroso à primeira vista, mas no decorrer das páginas é fácil notar que as coisas são mais complicadas que isso. Keenan é simpático, charmoso, o tipo de cara que a maioria das garotas se apaixona mas que mesmo assim possui claros defeitos, que a autora não tem medo de mostrar. Donia, a "garota do inverno", é uma das vítimas da maldição acerca de Keenan: ela tentou ser a Rainha do Verão, mas infelizmente não foi a escolhida, tendo então que carregar o "frio do inverno" na alma, até que apareça outra candidata à Rainha.

O relacionamento entre os dois é algo estranho, porque, apesar de ela não ser a escolhida, Keenan ainda possui um carinho muito grande pela Donia. É bonitinho de se ver e ainda mais fácil de simpatizar com a garota, mesmo ela sendo toda problemática.

O grande obstáculo para Keenan, na verdade, é ninguém menos que sua mãe, Beira, a Rainha do Inverno. Ela é daquelas personagens que é impossível não criar uma repulsa por - se compararmos ela com a Rainha Má da Branca de Neve, a segunda vai parecer um doce de pessoa! Eu não aguentava mais as maldades que ela fazia e estava louca pra saber quem e como iam pará-la.

O final é bem amarrado, diferente do que eu esperava (e melhor!), criando um cliffanger que torna impossível não ficar com vontade de ler a continuação. Eu gostei bastante da leitura, a mitologia então, nem se fala! Já conferi que no próximo livro o foco é um pouco diferente, o que me deixa ainda mais curiosa, porque eu achava que o próximo livro teria uma direção beeem diferente. Mesmo assim, recomendo pra vocês, porque é um livro gostoso, bem escrito e "encantador".

P.S.: Tem um personagem chamado Niall na história, gente!!!1 Igual ao do One Direction! #momentofangirl


Autor(a): Melissa Marr
Editora: Rocco
Ano: 2011
Páginas: 360
Nome original: Wicked Lovely
Coleção: -Wicked Lovely, #1

0 viajantes:

Postar um comentário

Comente aqui o que achou da postagem. Não seja tímido, pode falar o que vier a cabeça (desde que não seja coisas, você sabe, idiotas, racistas, etc).
Aproveite.