[Resenha] O Lado Mais Sombrio, de A. G. Howard


Quem não gosta de uma boa reedição de um clássico, né? Eu, pelo menos, adoro essas coisas, sou fã assumida. Por isso, minhas expectativas subiram bastante quando ouvi falar desse lançamento da Novo Conceito, que juntamente a essa capa maravilhosa (gente!) contava a história de uma parente distante da Alice - sim, aquela que inspirou o Lewis Carroll a escrever um dos livros infantis mais famosos de todos os tempos.

Alyssa é quase uma menina comum. Tirando o fato de sua mãe ser considerado louca e morar num hospício e ela conseguir ouvir o que os insetos e plantas pensam, sua vida não poderia ser mais ordinária. Seu melhor (e praticamente único) amigo, Jeb, está um pouco distante e namorando uma menina completamente asquerosa que Alyssa não suporta, mas tudo bem. O problema começa de verdade quando, após mais um surto de sua mãe e uma tentativa de matar a própria filha, há a ideia de um novo tratamento para curar a loucura - eletrochoques (sim, eles ainda existem). A única solução aparente para Alyssa salvar sua mãe é voltar aonde Alice, sua tataravó, jamais deveria ter ido: o País das Maravilhas.

Eu tenho que admitir uma coisa: a A. G. Howard possui uma criatividade fora de série, que beira a genialidade e a loucura! A forma como ela constrói as histórias, para depois uni-las de uma forma completamente inesperada e doida foi incrível, me cativou e me deixou morrendo de vontade pela continuação (até perguntei pra Novo Conceito, pelo twitter, quando saía o próximo). Não quero contar nada pra vocês porque um dos trunfos do livro é que sua sinopse não fala nada de mais, deixando os leitores atiçados e prontos pra se surpreender.

Os personagens também são um ponto forte do livro, com destaque pra dois: a própria Alyssa, que apesar de meio louca (afinal, as melhores pessoas são loucas), tem personalidade, aprende rápido e é carismática. A história toda é narrada por ela e, nos momentos de ação, é impossível não ficar toda encolhida, só esperando o próximo movimento. Outro que eu gostei muito, mesmo, foi Morfeu, um cara que ela encontra lá no País das Maravilhas. Ele é bad boy, mas nada típico. Charmoso, louco, divertido, sarcástico, mas muito bem construído. Foi de longe um dos que eu mais gostei.

E temos Jeb, o amorzinho da nossa Alyssa... Geralmente eu não curto os "melhores amigos apaixonados", mas estou com uma sorte nas últimas leituras, que apesar de terem esses personagens, ao menos eles são legais e corajosos (meio melosos, mas a gente não pode ter tudo, né?).

Com um ótimo gancho deixado no final, mas sem deixar de nos dar algumas boas explicações, O lado mais sombrio é uma ótima adaptação, com mais ação e criatividade do que eu imaginava, completamente diferente do que se pensaria que o País das Maravilhas fosse.

P.S.: A Novo Conceito disponibilizou o conto "A Mariposa no Espelho" de graça, na Amazon. Se você já leu O lado mais sombrio, vem ler esse conto aqui!


Autor(a): A. G. Howard
Editora: Novo Conceito
Ano: 2014
Páginas: 368
Nome original: Splintered
Coleção: Splintered, #1

0 viajantes:

Postar um comentário

Comente aqui o que achou da postagem. Não seja tímido, pode falar o que vier a cabeça (desde que não seja coisas, você sabe, idiotas, racistas, etc).
Aproveite.