[Resenha] Quem é você, Alasca?, de John Green


Uau, finalmente consegui ler esse livro! Ainda lembro-me da primeira vez que ouvi falar dele, das resenhas positivos (não sei por que, mas sempre lembro do maldito cisne! *referências*), da capa terrível da primeira edição e, finalmente, no meu aniversário em 2013, acabei ganhando outro livro do John que já tinha e, duh, troquei por esse que queria tanto ler.

Na realidade, eu sei que ficar falando de outras coisas sem sentido na resenha é meio ~chato~, mas nesse caso, eu queria comentar uma coisa. No dia que fui no shopping, logo depois de eu ir à livraria pra trocar o livro, fui no Burguer King (porque, né, amo forte) e o atendente, simpático, me perguntou se era um livro aquilo que eu lia enquanto minha mãe pagava (sim, porque eu já estava lendo). Falei que sim, e gente, o mais curioso foi sua reação: “O quê? Como assim? Pra quê você tá lendo esse livro? Pra que você tá lendo?” e, mesmo eu explicando por que ler é tão bom e que, às vezes, pra se apaixonar só precisa de um empurrãozinho, ele não acreditou em mim, mas espero, no fundo do coração, que ele tenha mudado um pouquinho de ideia e, uma hora, quando passar na frente de uma livraria, queira entrar.

Mas enfim, desculpas, mudei o assunto completamente, mas É ISSO que acontece quando eu resenho um livro do John! Muitos assuntos! Enfim. Quem é você, Alasca?, pra quem não sabe, é o livro de estreia do autor e, já nele, nós podemos saber porque os americanos passaram a amá-lo tanto depois de ser publicado. A história conta, basicamente, sobre Miles, um menino normal, mas que é viciado em últimas frases, e que resolve mudar de escola para, quem sabe, fazer amigos, indo estudar num internato que o seu pai estudou quando tinha sua idade.

Além dele, temos Alasca (DUH), Coronel e Takumi, os amigos que Miles faz enquanto estuda por lá. Cada um tem sua característica e eu acabei gostando de todos, mas principalmente, do Coronel, porque ele me passou uma sensação de inteligência e perspicácia que amo nos personagens. No entanto, não posso negar, Alasca é a personagem destaque do livro. Miles, em pouco tempo, passa a gostar dela, mesmo ela sendo comprometida, afinal, ela é interessante, agitada, inteligente e o trata super bem.

A narrativa é bem gostosa, principalmente porque Miles é um personagem curioso, o que torna seus comentários ótimos, principalmente os relacionados às últimas palavras das pessoas. É um livro divertido, sim, mas, além disso, ele quer algo a mais. Ele não trata os adolescentes só “no papel” e, pelo que eu senti, procura mostrar o que nós realmente somos e, diante de algumas situações improváveis (mas que infelizmente acontecem), como reagimos. É, sem dúvida, um livro tocante, de uma maneira nada clichê ou melosa, porque o autor soube dosar de uma maneira certa diversos assuntos, comuns a nós, adolescentes.

Quem é você, Alasca? não faz apenas essa pergunta a Alasca, e sim a todos, principalmente ao próprio protagonista, que, indo atrás do “grande talvez”, acaba encontrando consigo mesmo. O mundo não é perfeito, tudo é passageiro, mas o que esse livro me fez pensar? É que, mesmo assim, as coisas mais simples são incríveis (sim, eu falo coisas meio loucas, obrigada).


Autor(a): John Green
Editora: WMF Martins Fontes
Ano: 2005 (original) - 2013 (Brasil)
Páginas: 221 (original) - 229 (Brasil)
Nome original: Looking for Alaska
Coleção: -

0 viajantes:

Postar um comentário

Comente aqui o que achou da postagem. Não seja tímido, pode falar o que vier a cabeça (desde que não seja coisas, você sabe, idiotas, racistas, etc).
Aproveite.