[Resenha] Perseguição Digital, de Loraine Pivatto (book tour)


O que comentar sobre esse livro? De fato, é uma resenha que vai ser difícil de se fazer... Mas tentarei ao máximo mostrar meu ponto de vista, e tudo que penso sobre o livro!

Joana é uma jovem, feliz, animada e inteligente. Ou pelo menos, era. Até que, sem aparentemente motivo, seu namorado pelo qual era totalmente apaixonada e fiel, Fernando, a deixa. Sem explicações. Sem motivos. Sem sequer dizer um "tchau" direito. Joana entra num estado de depressão muito forte, o que me fez lembrar a Mila, mas nem de longe Joana é tão atormentada. Dá pra ver que ela realmente quer entender o por quê de tudo aquilo, pra poder tentar seguir em frente. Só que ela não usa os meios comuns pra isso, ela resolve virar uma hacker e começa a investigar a vida de Fernando, procurando motivos, uma outra mulher, qualquer coisa. Nesse meio-tempo, ela descobre que ele está tendo vários casos rápidos, e também não entende isso, já que Fernando foi sempre um cavalheiro.

“(...) dor não se mede. A dor é inerente ao ser humano. Ninguém pode senti-la por você, por mais que essa pessoa a ame. Sua dor é completamente sua. Às vezes, uma pessoa parece tão forte, determinada, realizada e reage tão sensivelmente a um fato que para outro seria fichinha. Tudo é muito relativo.” (pág 20)

Eu fiquei muito em dúvida se eu tinha gostado ou não desse livro. Por muitas vezes, eu me irritei com a protagonista, afinal, Joana é uma mulher já, e às vezes age como se tivesse 15 anos de idade. No entanto, o por quê de Fernando tê-la abandonado foi um mistério completo pra mim e, falando a verdade, eu não estava tão curiosa pra saber a verdade.

Aliás, tem algumas cenas deles juntos com algumas descrições do sexo que eu achei meio desnecessárias, talvez seja problema meu, que sou chata... Não estou falando que nunca li nenhum livro que fala que as pessoas transam, mas achei que o jeito que a autora descreveu tal ato por vezes ficou vulgar demais... E outras vezes, ela escrevia bem sobre a mesma coisa.

Até o meio do livro, eu achava que a parte "digital" não era tão importante pra ganhar tal título, afinal, Joana só a usava para espionar os emails de Fernando, nada demais. Mas, do meio pra frente, o livro ganha forma e fica muito melhor! A adição de vários personagens    como a irmã da Joana, a Michelle, etc    fez toda a diferença e foi quando eu realmente fui ficando curiosa daquele por quê.

“(...) Seriam felizes para sempre... Só que a vida real não era assim, nem tudo tinha um ‘happy end’. A vida era dura e cruel e a maioria das meninas crescia acreditando em contos de fada e príncipes que nunca chegariam.” (pág. 69)

O livro tem vários pontos altos, eu gostei da caracterização dos personagens (ou da maioria, pelo menos), a Joana não é tão chata quanto a Mila lá de cima, porque ela é mais forte, ela consegue ver que está errada. Michelle é uma fofura à parte!! Sem dúvidas minha personagem favorita, ela deu mais cor e vida para a existência da Joana. Já Fernando não fui muito com a cara, mesmo sabendo o seu motivo, ainda não acho que sua conduta é das melhores... Mesmo porque ele fez a Joana sofrer tanto que fica difícil vê-lo como um cara bom :S.

É uma boa leitura, os toques da tecnologia deram um gostinho diferente à história, sem dúvida, mas recomendo que leia sem esperar um chick-lit ou coisa assim. É um romance, mas é forte, sem dúvidas. Loraine sem dúvida tem um grande potencial a ser aproveitado!

Nota geral: 8,5 (ou 3 estrelas)


Autor(a): Loraine Pivatto
Editora: Novos Peregrinos
Ano: 2009 (Brasil)
Páginas: 202
Nome original: -
Coleção: -









Um comentário:

  1. Que interessante o livro! Fiquei super curiosa para saber porque o Fernando estava tendo estes casos rápidos.

    Quando eu era mais nova só lia estes tipos assim, que têm um pouco de mistério. Por isso que atualmente sou fanática por Agatha Christie e Sherlock Holmes!

    Beijos,
    Miriam.
    bookerqueen.blogspot.com

    ResponderExcluir

Comente aqui o que achou da postagem. Não seja tímido, pode falar o que vier a cabeça (desde que não seja coisas, você sabe, idiotas, racistas, etc).
Aproveite.