[Resenha] Como salvar um vampiro apaixonado, de Beth Fantaskey


Muito tempo atrás, numa época que livros sobre vampiros eram lançados a cada cinco minutos, um deles me chamou a atenção: Como se livrar de um vampiro apaixonado (resenha aqui). A sinopse era ótima e, quando finalmente pude ler, não me arrependi nem um pouco: uma narrativa gostosa, despretensiosa, jovem e rápida, com boas doses de sarcasmo.

Agora, em 2013, recebi a continuação, finalmente lançada pela Editora Arqueiro e vocês imaginam a minha animação, né? Eu já estava morrendo de saudades da Jess e do Lucius, além da melhor amiga maluquinha dela, Mindy. O segundo livro começa logo depois do casamento de Jesse e Lucius, que aconteceu logo após o final do livro anterior (e está disponível para nós lermos em algum lugar da internet, gratuitamente), quando os dois têm a grande missão de convencer o resto do Conselho de Vampiros que eles são sim capazes de governar juntos e com sucesso.

A história é dividida em várias narrações -  Jess, Mindy, além de algumas e-mails entre Lucius e Raniero, seu primo e rolo da Mindy – o que fez com que eu acabasse gostando mais de algumas narrativas do que de outras. Mas o que mais me incomodou no livro praticamente inteiro foi a mudança drástica na personalidade de Jessica. Eu me rasgava em elogios nela no primeiro livro, mas nesse ela está, 70% do tempo, insuportável, uma verdadeira “Bella” da vida. Insegura, chata, mimada, reclamona. Concordo que a vida dela não é fácil, mas até então, eu tinha certeza de que ela seria mais do que capaz de lidar com tudo aquilo.

Quanto aos outros personagens, senti falta de uma maior presença de Lucius, afinal, isso sim é um vampiro legal de ler sobre. Felizmente, ainda tivemos bons momentos com ele graças aos e-mails e cartas trocadas com Raniero, esse novo personagem que, eu juro, não lembrava! Eu gostei bastante, é um cara interessante, com uma pitada de perigoso e um passado misterioso, um par que eu jamais imaginaria para a Mindy.

Aliás, adorei essa menina nesse livro! O fato de ela ser meio piradinha sempre ajudou, mas o legal é que tivemos a oportunidade de conhecê-la melhor nesse livro e, nossa, ela é bem mais legal do que eu pensava. Juntos, ela e Raniero muitos vezes ajudava a Jess a sair da maré de chatice.

A história foi até que interessante, amei o mistério que foi criado e realmente, gostei do desenvolvimento e da resolução, mas eu simplesmente senti falta de um “quê” de mágico que o primeiro livro possuía aos montes. Não sei se sou eu que mudei, mas esse livro, apesar de ter sido bom, não passou disso.

A tradução e a revisão estavam boas e o design simples, com páginas amareladas e divisão de capítulos igual ao anterior, bem básico. No entanto, é uma leitura gostosa de se fazer, graças ao que citei antes sobre as várias narrações, pois assim o foco não ficava sobre uma única (e às vezes chata) personagem.

Pra quem quer finalizar a série, recomendo muito, porque é legal rever aqueles personagens que eu já estava com muitas saudades. Só vá levando uma dose extra de paciência, porque você provavelmente precisará.


Autor(a): Beth Fantaskey
Editora: Arqueiro
Ano: 2011 (original) - 2013 (Brasil)
Páginas: 309 (original) - 272 (Brasil)
Nome original: Jessica Rules the Dark Side
Coleção: Jessica, #2

0 viajantes:

Postar um comentário

Comente aqui o que achou da postagem. Não seja tímido, pode falar o que vier a cabeça (desde que não seja coisas, você sabe, idiotas, racistas, etc).
Aproveite.