[Resenha] Jogos Vorazes, de Suzanne Collins


F*da. Isso é o que esse livro é. Eu simplesmente... Não tenho palavras para descrevê-lo. Comprei em Novembro/2010, porque tinha ouvido falar muito bem (continuo ouvindo, aliás) e tinha gostado da história, tinha uma pegada meio Gone. E vocês sabem como amei aquele livro. Mas esse... Ele ultrapassou minhas expectativas. É um daqueles livros que você termina, para e, uma semana depois, ainda está pensando nele. Nele e, claro, nos seus personagens.

Katniss à esquerda, Peeta à direita
Resumindo a história (afinal, todo mundo já conhece, né?): Katniss Everdeen é uma garota de 16 anos, que vive no Distrito nº 12, da "nação" Panem, que é controlada por mãos de ferro pela Capital (ou Capitol, no original - eu acho). Todo ano, há o "dia da colheita", em que são sorteados dois nomes de cada distrio - 12 distritos, no total - , um menino e uma menina, para competir nos Jogos Vorazes. É obrigatório se inscrever dos 12 aos 18 anos e, conforme você envelhece, aumenta o número de vezes (uma vez com 12, duas com 13, assim por diante). Mas no Distrito 12, muitas pessoas morrem de fome e, para evitar que isso aconteça com sua mãe e sua irmã, Prim, Katniss põe seu nome mais vezes do que o necessário, ganhando assim algo como uma "cesta básica". Além disso, ela caça, todos os dias, na floresta depois da cerca da fronteira do Distrito, junto com seu amigo Gale, o que faz com que ela seja mestra no arco-e-flecha, entre outras coisas.

Eis que chega o dia do sorteio e Prim, a frágil Prim, é sorteada. Katniss, para que sua irmã não corra perigo, se oferece no lugar dela. E o garoto sorteado é Peeta, o filho do padeiro, que, anos atrás, quando o pai de Katniss tinha acabado de falecer e ela estava morrendo de fome - literalmente - a ajudou, dando-lhe alguns pães e assim ganhando o apelido de "Garoto do Pão". Os dois não se conhecem muito bem e Katniss ainda se sente em dívida com ele, por ter lhe ajudado há anos atrás.

Suzanne Collins é o que chamamos daquela escritora que não tem medo de mostrar a crueldade, a realidade, e talvez por isso mesmo o livro seja tão bom. Porque nos faz refletir. Até que ponto nós ficamos sentados, vendo bombas explodirem, pessoas morrerem, no conforto de nossa cadeira? Não é parecido com que os da Capital fazem? Sentam e veem aquelas crianças se digladiarem até a morte? Até que só reste uma?

Katniss é uma daquelas personagens que você acha demais: não é fracote, não espera ser resgatada, vai a luta, não fica se lamentando porque quebrou a unha (metaforicamente falando, claro). Peeta é corajoso e muito, muito inteligente. Não que Katniss não seja, pois ela é DEMAIS de inteligente, mas são inteligências diferentes. A história contada pelo ponto de vista dela não atrasa em nada, deixa mais realista, somando-se ao fato da leitura ser feita no presente, dando mais... Realidade, seria a palavra?

O livro é ótimo, afinal. Porém, não é só mais um livro apocalíptico. É um daqueles que foram feitos para você ler, pensar e refletir um pouco sobre nossa sociedade.

Pontos positivos: personagens, história, realismo, narração... Tudo.
Pontos negativos: Nada. Sei lá, o livro é bom demais!

Personagens Favoritos: Katniss, Peeta e Rue (não comentei sobre ela na resenha, mas é uma garota que se alia a Katniss durante um tempo).

Classificação:
Nota e design gráfico: 9,5 (amo essa capa!)
História: 10,0
Narrativa: 9,5
Personagens: 10,0
Final: 10,0
Nota geral: 9,8

Playlist:
I Miss You - Miley Cyrus (Katniss - seu pai);
Misery Business - Paramore;
Use Somebody - Kings of Leon;
Mannequin - Katy Perry.

Passagens favoritas: 


1: "Bem, penso, seremos 24 por lá. Há muita probabilidade de outra pessoa matá-lo antes de mim.
Mas é claro que, ultimamente, as probabilidades não estão muito confiáveis."
pág 40

2: "Mas eu estou presa aqui não só pelas paredes do aerodeslizador como pela mesma força que segura aqueles que amam aos que estão para morrer. Quantas vezes eu não os vi, ao redor da mesa de nossa cozinha, e ficava imaginando: Por que não vão embora? Por que ficam para ver?
E agora sei a resposta. É porque não há alternativa."
pág 370

Autor(a): Suzanne Collins
Editora: Rocco
Ano: 2008 (original) / 2010 (Brasil)
Pág: 400
Nome original: Hunger Games
Coleção: Hunger Games, #1

Um comentário:

  1. Nossa adorei!Eu amo essa série ela é incrivel.
    http://garotinhavirtual.blogspot.com

    ResponderExcluir

Comente aqui o que achou da postagem. Não seja tímido, pode falar o que vier a cabeça (desde que não seja coisas, você sabe, idiotas, racistas, etc).
Aproveite.