Top Ten Tuesday: 10 coisas que eu gosto/não gosto em romance nos livros


Boooom dia, gente! Cá estamos em mais uma edição do Top Ten Tuesday. A questão da vez é simples: o que você gosta em um livro quando o assunto é romance? Dividi a lista entre cinco coisas que gosto e cinco coisas que não. Espero que vocês comentem aí embaixo se concordam comigo, se esqueci de alguma coisa, ou qualquer coisa que queiram compartilhar!

5 COISAS QUE EU GOSTO:

1) Quando o relacionamento é desenvolvido sem pressa, sem nada "instantâneo":

Dica para vida para futuros escritores: amigo, quase nunca acontece o famoso amor à primeira vista, viu? Mas o maior problema não é nem isso, é quando o próprio relacionamento evolui rápido demais: eles se conhecem num dia, se apaixonam no outro e já estão planejando o casamento no final da semana. Além de causar pouca empatia, porque é pouco real, perde muitos pontos porque é muito legal ver o desenvolvimento de qualquer relacionamento, principalmente o romântico.

love animated GIF

2) Quando o romance faz as pessoas melhores, de alguma forma: 

Eu confesso que esse é complicado, mas é uma das coisas que eu curto. Não que eu queira que a pessoa que eu goste mude totalmente de personalidade, porque eu me apaixonei por ela daquele jeito, mas quando tal sentimento traz algo de bom na vida dos personagens e eles, em consequência, acabam agindo de uma forma melhor, eu curto.

3) Quando a pessoa nota que, apesar de o amor ser importante, ela sabe ser feliz consigo mesma:

Eu sei que isso não tem muito a ver com o romance em si, mas é algo que eu acho que muito livro por aí peca nessa área: nós temos, antes de amar alguém, saber amar a nós mesmos, nos aceitando com nossos pontos fortes e defeitos. É uma coisa super importante para todo e qualquer indivíduo, mas muitas vezes é deixado de lado "pelo grande amor", quando na verdade esse amor só deveria fortalecer esse sentimento.


4) Quando há um casal de opostos:

Esse é bobinho, mas é um ponto fraco meu, principalmente porque, quando há algum casal de opostos na história, duas coisas costumam ser muito boas: os diálogos entre os dois e a química.

5) Quando não há melação exagerada entre o casal: 

Isso é outro fator MUITO importante pra me fazer gostar não só do casal, mas do livro. Odeio relacionamentos pegajosos então quando o casal fica naquela "ai, desliga você" "não, desliga você" eu reviro os olhos porque não, não curto nem um pouco.

5 COISAS QUE EU NÃO GOSTO:

1) Quando ele é simplesmente enfiado na história para que "tudo dê certo" no final:

Argh, como isso é irritante! Sabe quando faltam cinquenta páginas para o final do livro, a protagonista está com toda aquela vibe nova vida, novo tudo, livre, leve e solta e, do nada, surge alguém e ela fica com ele feliz para sempre (sendo que na teoria ela nem precisava)? As pessoas no geral tinham que entender que para que "tudo dê certo" no final não é necessário um casal perfeito, mas sim amor.

2) Quando eu não suspiro, há algo errado:

Hahaha, ok, isso é um pouco exagerado, mas um pouco verdade também. Adoro ver casais bem-construídos (como comentei na parte anterior da lista) e para tal, eles têm que exalar um sentimento, né? Pode ser que eu não suspire de fato, mas só aquela sensação "nossa, eles realmente se completam, como feijão com arroz!" é meio que necessário.


3) Quando uma das partes é ciumenta ou possessiva demais:

Outra coisa desnecessária! Gente, quem ia querer um cara ou uma menina que não te dá o espaço necessário na relação? Alguém que desconfia de todo mundo, inclusive de você? Por favor, não! Além de ser uma demonstração clara de insegurança, pode evoluir para coisas ainda piores, como agressão. Então, não. Definitivamente.

4) Quando há aquele vai e volta desnecessário:

Já ouviu dos vais e voltas do Justin Bieber com a Selena Gomez? Pois é, certamente não é algo que eu quero encontrar nos meus livros também. Eu entendo que muitas vezes um casal dá um tempo (WE'RE ON A BREAK momentos) para pôr as coisas em perspectiva, mas ficar nesse chove-não-molha é só uma tática chata de enrolação.

5) Quando há traições (me desculpe, gente): 

Olha, talvez seja coisa do meu signo, mas traições para mim é um caminho quase sem volta. Eu aceito que as pessoas mudam, mudam seu gosto, seu amor, tudo, mas em nome de tudo que o personagem já passou com o outro personagem, é super necessário um fechamento do relacionamento.


Siga o blog nas redes sociais:

Um comentário:

  1. Vou te falar, também detesto quando a trama nem pede um romance, mas o autor vai lá e tenta nos enfiar goela abaixo uma historinha de amor qualquer só para dizer que tem. Um exemplo disso que me vem à mente é em Extras, do Scott Westerfeld. O livro é muito bom, mas o romance é totalmente desnecessário, na minha opinião.

    Beijos, Livro Lab

    ResponderExcluir

Comente aqui o que achou da postagem. Não seja tímido, pode falar o que vier a cabeça (desde que não seja coisas, você sabe, idiotas, racistas, etc).
Aproveite.