[Resenha] Simplesmente Acontece, de Cecelia Ahern


Simplesmente Acontece é um daqueles livros narrados inteiramente por cartas, mensagens e conversas no bate-papo. Adorei a experiência quando li Tweet Heart (apenas em tweets!) e em Todo garoto tem (mais nesse estilo), então não tive medo de embarcar nessa aventura junto a Rosie e Alex.

Eles são dois melhores amigos para sempre, que se conhecem desde pequeninhos, e sempre mantiveram contato, mesmo com todas as idas e vindas da vida. Já acho incrível quem consegue fazer isso, porque a maioria das pessoas, assim que acaba a escola, ou a faculdade, perde e contato e só se vê a cada cinco anos em alguma reunião. Os dois são realmente próximos, o que é super legal de se ver, ainda mais porque como o livro aborda desde seus primeiros bilhetes até a idade adulta, você realmente consegue vê-los se desenvolvendo e crescendo com a vida.

Rosie é uma moça forte e determinada e, apesar da vida ter-lhe dado vários caldos, ela ainda é alguém bem resolvida, mesmo que muitas vezes tenha medo de mudanças, o que foi um ponto fraco na história, pois eu tinha vontade de sacudi-la e dizer: amiga, acorda! Corre atrás do que quer! Já Alex... *insira um suspiro*. Pra começar que, graças ao trailer adorável da adaptação cinematográfica (que eu estou louca pra ver!), eu o imaginei sempre como o Sam Caflin, o que já me deixava apaixonada. Mas Alex é um daqueles caras especiais, inteligentes e que se dão bem na vida, mesmo que muitas vezes tenha dificuldade em ver o que está bem na sua frente e entender seus sentimentos.

A história, como eu já disse, é bem longa, mas nem um pouco cansativa, tanto que li o livro em dois dias, mesmo tendo umas 400 páginas, principalmente por causa dessa maneira escolhida pela Cecelia de narrar a história. Era meio enervante ver como, toda vez que algo estava prestes a dar certo na vida de algum deles, acontecia alguma coisa trágica - principalmente com Rosie. Eu me sentia irritada por eles, porque né, ninguém merece só tomar caldos da vida a vida inteira. Mas a história do livro é bem essa: os desencontros que a vida faz.

Claro que, por ser uma narrativa dessa forma, algumas coisas você pode só imaginar como acabaram, outras você gostaria de saber mais e não consegue, mas a história é muuuito gostosa, com personagens bem apaixonantes. Além disso, é bem real porque, por mais que a gente queira que tudo seja exatamente como pensamos, todo mundo sabe que não é bem assim... Cecelia me conquistou dessa vez, de verdade.


Autor(a): Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito
Ano: 2014
Páginas: 448
Nome original: Love, Rosie / Where Rainbows End
Coleção: -

2 comentários:

  1. Eu amei esse livro! Adorei esse formato epistolar, achei que deu dinamismo à história, e acho legal a autora brincar com isso, deixar o leitor "imaginando" o que poderia ter acontecido em vários momentos - por ser todo em cartas e mensagens, a gente só acompanha ou o antes ou o depois dos fatos, ao invés do acontecimento no momento presente. Um livro lindo e fofo, sem dúvida.

    Beijinhos, Livro Lab

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, achei muito fofo o livro mesmo! E é mesmo, esse jeito de narrar a história deixa tudo muito mais rápido, principalmente porque eu adoro esse jeito. Se vc curte isso, devia muito dar uma olhada nos outros livros mais ou menos assim, tipo Todo garoto tem ou Tweet Heart. Bjs!

      Excluir

Comente aqui o que achou da postagem. Não seja tímido, pode falar o que vier a cabeça (desde que não seja coisas, você sabe, idiotas, racistas, etc).
Aproveite.