[Resenha] Apenas Um Ano, de Gayle Forman


> Leia antes: Apenas Um Dia

Meus sentimentos contraditórios acerca Apenas um Dia não me impediram de ficar curiosa e bem animada com esse livro. Pelo contrário, nós finalmente teríamos a versão de Willem sobre a história. Assim como no outro livro, viajar aqui é uma coisa fundamental, e ganha mais destaque ainda, afinal, Willem é um cara acostumado a não se acostumar com um lugar, alguém que muda de moradia como de roupa.

Contudo, a minha surpresa foi que apesar de termos a perspectiva dele após o dia tão importante na vida de ambos, isso muitas vezes deixa de ser o foco para destacar os relacionamentos de Willem com diversas pessoas, que faz conforme viaja por aí, mas principalmente com sua mãe, Yael, um relacionamento que desde o princípio era complicado e cheio de altos e baixos. Achei muito legal esse destaque à família dele, que é abordada bem pouco por Allyson no primeiro livro.

- Não vai se perder? - ele pergunta.
Coloco um sorriso reconfortante no rosto. A verdade, porém, é que é exatamente isso o que pretendo fazer. (pág.136)

Aliás, é um comparativo interessante de se fazer: os dois têm famílias complicadas, possuem bagagens e, de alguma forma, se completam. O interessante desse livro não é entender melhor por que Willem se encantou por Allyson - não, ele vai bem além disso. Claro que temos sua visão do encontro, e isso me fez simpatizar mais com a protagonista, mas o mais bonito foi ver que, antes de ela aparecer, Willem era uma daquelas pessoas que procuravam ao máximo evitar confrontos com o passado, e o problema que isso traz é que ele não se apega a ninguém, nem segue em frente.

Willem não é alguém perfeito, nem de longe. E isso é outra coisa que eu gostei: é um cara que, apesar do bom coração, nem sempre tomou as melhores decisões do mundo e já se sentiu muito sozinho no mundo, perdido num sentido que não representava liberdade, só falta de direção. Uma das coisas que eu mais gostei foi ver sua evolução, ao decorrer da história, levando sempre um pouquinho do que conheceu das outras pessoas que cruzam seu caminho. Todo mundo já ouviu aquela frase que toda pessoa que você deixa pra trás leva um pedacinho de você com ela e deixa um pouco dela com você, e sinto que isso acontece várias vezes nessa história.

Alguma coisa aconteceu naquele dia. Ainda está acontecendo. Está acontecendo aqui em cima deste palco. Foi apenas um dia e apenas um ano. E talvez um dia seja o bastante. Talvez uma hora seja o bastante. Talvez o tempo não tenha nada a ver com isso. (pág. 325)

O espaço que o teatro ocupa no livro, em especial (mas não somente) Shakespeare, é um toque que o deixa especial também. Eu não entendo muito de teatro, pra dizer o mínimo, mas a mistura de sentimentos e sensações que as falas, os personagens e o próprio palco causa no Willem deixa qualquer um com vontade de ver uma peça do mestre do drama.

A edição do livro é bem parecida com a de Apenas um dia, seguindo o padrão que torna o livro muito fácil de ler: capítulos curtos com finais instigantes e páginas amareladas. Há alguns problemas com a revisão, mas nada que impeça a compreensão.

Allyson pode não ter sido a motivação de todas as mudanças que acontecem durante o ano seguinte ao "apenas um dia", mas com certeza foi o estopim para Willem sair do estupor. Apenas um ano, ao contrário do primeiro, que se foca extremamente na letargia da Allyson (o que chega a irritar bastante!), é um livro sobre viagens, sobre família e sobre se encontrar, mesmo que para isso você se perca um pouco no caminho.

4 mochilões pelo mundo

Autor(a): Gayle Forman
Editora: Novo Conceito
Ano: 2015
Páginas: 352
Nome original: Just One Year
Coleção: Apenas Um Dia, #2

2 comentários:

  1. Oi, tudo bom?! Conheci o blog agora e gostei bastante. Já estou seguindo o blog, o twitter e curtindo a fan-page. :)

    Quero muito ler um livro da Gayle Forman, parece ser uma autora de uma escrita refinada. Adorei a resenha...bjs :)
    Abraços do Dan!
    •bookdan.blogspot.com
    •facebook.com/leituradan
    •twitter.com/leitura_dan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dan! Leia sim, ela tem uma escrita muito bonita, sabe? Os personagens nem sempre são dos mais agradáveis, mas vale a pena hahaha principalmente se vc curte viagens ;)
      bjs!

      Excluir

Comente aqui o que achou da postagem. Não seja tímido, pode falar o que vier a cabeça (desde que não seja coisas, você sabe, idiotas, racistas, etc).
Aproveite.