Na Pilha #31

O "Na Pilha" é um meme aonde eu mostro meus últimos desejos literários (geralmente os Internacionais) que eu acho no Skoob, no GoodReads, na Amazon, no Book Depository, em blogs internacionais e daqui... ;) (Totalmente inspirado no meme de mesmo nome da Carol!)


Boa tarde, cupcakes! Sim, eu fiquei algumas semanas sem fazer o NP sem um motivo específico - às vezes era apenas esquecimento, outras falta de tempo, outras falta de vontade. Mas voltei, porque quem é vivo sempre aparece ;)
E eu sei, duas vezes o mesmo autor não é o meu estilo normalmente, mas vamos reconsiderar que a) ele deve ser muito awesome e b) o primeiro livro ele escreve junto com outro escritor (que também quero muito ler algo somente dele).
P.S.: Acabei de lembrar que hoje é DIA DOS NAMORADOS, então parabéns pra você que tem um namorado. E pra você que não tem, estamos no mesmo barco o/.

This Lullaby, de Sarah Dessen.
Quando o assunto é relacionamento, Remy não está para brincadeira. Afinal, ela aprendeu tudo o que precisa com sua mãe, que está atualmente no marido número cinco (!). Mas tem alguma coisa sobre Dexter que parece desafiar todas as regras de Remy. Ele certamente não parece o Sr. Certinho. Mas contudo, por alguma razão, Remy simplesmente não consegue se livrar dele. Será que Remy está começando a entender sobre o que todas aquelas canções de amor são?

Por que quero ler? A Sarah já apareceu em outro NP com "A caminho do verão" e apareceu de novo hoje! Eu quero muito ler qualquer livro dela desde sempre, mas o que realmente me fez ficar louca de vontade foi a #SemanaDessen que a Dayse e a Giu fizeram semana passada (!!!!). Então, de todos os livros que eu quero, eu resolvi pôr esse, porque a protagonista se parece um pouco comigo - tirando a parte dos vários casamentos da mãe dela. Não é que eu não seja romântica ou não acredite no amor, mas acho que, depois de ver tanta gente sair machucada por causa desse sentimento, pode-se dizer que eu sou uma "romântica desiludida". Mas enfim. O livro deve muito awesome, porque gente, é Sarah Dessen!!!

The Fault In Our Stars, de John Green.
Diagnosticada com câncer na tireoide fase IV com 12 anos, Hazel estava preparada para morrer até que, aos 14, um milagre médico encolheu os tumores em seus pulmões... por enquanto. Dois anos pós-milagre, Hazel, com agora 16 anos, está "pós" tudo o resto, "pós" colegial, "pós" amigos e "pós" normalidade. E mesmo que ela possa viver por um bom tempo (o que quer que aquilo signifique), Hazel vive presa a um tanque de oxigênio, os tumores em controle por uma linha tênue à base de fortes medicamentos agressivos. Entra Augustus Waters. Uma combinação feita no grupo de suporte à câncer infantil, Augustus é lindo, em remissão, e surpreendentemente para ela, interessado em Hazel. Estar com Augustus é ao mesmo tempo um destino inesperado e um jornada há muito tempo necessária, fazendo com que Hazel repense como doença e saúde, vida e morte, irão defini-la e o legado que todos deixam para trás.

Por que quero ler? Porque é John Green! Porque esse autor, como a Maureen Johnson, é daqueles que eu já sou fã sem ler nada (ah, a Sarah Dessen também entra nessa lista). Eu já queria ler algo dele faz um bom tempo, antes mesmo de lançar Looking for Alaska no Brasil, mas até agora nunca tive essa chance. E, depois de ler a resenha da Dayse (novamente ela!), eu tinha que começar com esse livro. Eu não gosto de quando os livros com pessoas doentes caem naquele lugar-comum de "oh, ele morreu." que parece frio e sem sentimento, ou quando fica naquele melodrama estilo baldes d'água. E o meu grande alívio foi que esse livro não tem nada disso!!! É pra ir pra wishlist ou não?

Will Grayson, Will Grayson, de John Green & David Levithan.
Numa noite fria, numa esquina improvável de Chicago, dois adolescentes - ambos chamados Will Grayson - estão  prestes a cruzar seus caminhos. Conforme o mundo deles colidem e se interligam, os Will Graysons descobrem suas vidas indo em novas e inesperadas direções, entre reviravoltas do coração e uma épica produção do mais fabuloso musical colegial. Engraçado, mordaz e profundamente perspicaz, o romance de John Green e David Levithan está cheia de ajuda ao coração e o humor que que os fez ganhar legiões de fãs leais.

Por que quero ler? Porque parece que desde sempre eu só ouço falar bem desse livro e desses dois autores (que, aposto, são os queridinhos de muitos leitores por aí). Porque a história se passa em Chicago e eu adoro aquela cidade. E porque o enredo parece ser tão interessante e levemente sem noção que eu tenho que ler pra provar a escrita desses dois escritores tão divos.

E vocês? Gostaram de algum dos livros daí de cima?

Um comentário:

  1. Olá :D
    Eu queria ler os dois primeiros *-* Mas quero ler tanta coisa, credo. Tem muito livro pra ler em pouco tempo q UAHSUAHSUAHSUA

    Beijos, Vanessa.
    This Adorable Thing

    ResponderExcluir

Comente aqui o que achou da postagem. Não seja tímido, pode falar o que vier a cabeça (desde que não seja coisas, você sabe, idiotas, racistas, etc).
Aproveite.