[Resenha] Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis


Eu nunca tinha lido nada do Machado de Assis até hoje (sim, é um fato vergonhoso), mas, já que eu estou no último ano do colegial e esse livro está na lista de leituras obrigatórias das grandes universidades de São Paulo, eu acabei tendo que ler.

Para quem não sabe, esse livro foi bem inovador na época em que foi lançado, inclusive inaugurou uma nova escola literária no Brasil, o Realismo. Mesmo agora, eu posso dizer que foi uma escolha bem diferente e interessante do Machado de Assis de narrar as memórias de alguém após sua morte.

Brás Cubas, em capítulos curtos e com títulos bem sugestivos, vai aos poucos não só contando sobre sua vida (as “memórias”), mas também refletindo, comentando sobre diversos assuntos e mostrando como a vida era antes de bater as botas. Ele passa o livro todo fugindo do foco, dando as típicas digressões (oi, Viagens na minha terra!), mas possui o seu encanto na maneira como conta suas memórias.

Não é um livro com uma linguagem fácil, em grande parte porque Cubas pesa a mão nas referências a mil e um autores/acontecimentos/fatos que nos dias de hoje não são tão conhecidos, sendo bem úteis as notas de rodapé, mas também nem de longe é uma das narrativas mais “arcaicas” que já li.

O mais interessante é pensar como Brás Cubas viveu tanto tempo sem, no entanto, acabar se comprometendo com algo de fato. Nunca teve filhos, esposa, em grande parte porque nunca foi alguém fácil de lidar. Mas mesmo assim, conhecemos as pessoas por quem ele acabou se apegando, vemos o julgamento pelos seus olhos, conhecemos as coisas conforme ele pensava. É difícil formar um julgamento sobre o próprio Brás Cubas, e pra mim esse nem é o objetivo do livro, e sim ver a crítica à sociedade num geral que Machado de Assis faz no livro todo.

Foi uma boa experiência? É, posso dizer tranquilamente que sim. Quero ler mais livros desse autor brasileiro tão importante (principalmente Dom Casmurro, ou aquele-livro-que-todos-nós-já-ouvimos-falar-alguma-vez-na-vida) na literatura brasileira, mas sem pressa ou pressão. Se você já leu o livro, aproveite e comente se você concorda comigo!


Autor(a): Machado de Assis

Editora: Ática
Ano: 1985
Páginas: 144
Nome original: -
Coleção: -

3 comentários:

  1. Não li tanta coisa assim do "Machadão", apenas alguns contos e Dom Casmurro, livro pelo qual sou apaixonada até hoje. Não li Memórias Póstumas - lembro que na época que tive que ler para o colégio, eu simplesmente busquei um resumo =/ -, mas assisti a uma montagem teatral e gostei tanto que prometi a mim mesma ler o livro. E de lá para cá se passaram mais de dez anos e ainda não o li... Mas pretendo um dia...

    Beijos, Livro Lab

    ResponderExcluir
  2. Eu li vários livros do Brás Cubas. Meus professores sempre fazia ler e apresentar lá na frente. Eu odiava quando li Memórias Póstumas de Brás Cubas, me sentia obrigada. Mas com o tempo comecei a gostar, principalmente quando li Dom Casmurro, tenho até um livro. Sua resenha ficou muito boa!!
    Beijinhos
    www.dosedeilusao.com

    ResponderExcluir
  3. Olá, Isabella
    Tudo bem?
    Nossa, que vergonha kk nunca li nada assim, agora que me dei conta. Acho que não faz o meu gênero.. Mas eu daria uma chance sim, parece ser legal!
    Beijos*-*
    Território das Garotas

    ResponderExcluir

Comente aqui o que achou da postagem. Não seja tímido, pode falar o que vier a cabeça (desde que não seja coisas, você sabe, idiotas, racistas, etc).
Aproveite.